sexta-feira, 25 de setembro de 2015

EU SOU MALALA

                   Resenha por  Mara Carvalho


Título: Eu sou Malala
Subtítulo: A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo talibã.
Autora: Malala Yousafzai e Christina Lamb
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 360

Título original:  I am Malala
Tradução:      
Caroline Chang
Denise Bottmann
George Schlesinger
Luciano Vieira Machado

Apreciação: 4/5

Resenha:

Afeganistão, Vale do swat, nasce uma menina. “Quando nasce uma menina não há comemoração, meninas só servem para fazer comida e procriar” e aquele dia é considerado sombrio.

Mas, para aquela família, aquele nascimento foi muito importante. O pai Ziauddin deu a ela o nome de Malala, em homenagem a grande heroína do Afeganistão, Malalai de Maiwand. Ele fez questão de pedir aos amigos que jogassem frutas secas, doces e moedas no berço do bebê, uma tradição somente realizada para nascimento de meninos.

Sua família era muito pobre. Mesmo com todas as dificuldades o pai  conseguiu criar uma escola. A escola em que muitas meninas estudavam e que também oferecia bolsas integrais a crianças carentes. Lá elas estudavam  e interpretavam pelas de teatro. Para Malala “a escola era o refúgio contra os horrores que aconteciam lá fora’.

Para Ziauddin a filha deveria ser livre como um pássaro.

A pressão do Talibã contra a educação das moças era enorme. Homens bomba começaram a explodir escolas para meninas. Em 2008 cerca de 400 escolas foram destruídas pelo Talibã.

O livro tem uma linguagem fácil e mostra como ela era uma adolescente como tantas outras pelo mundo, fã de Justin Bieber e Crepúsculo. Ela conta como era avida dos paquistaneses, os absurdos com que as mulheres eram tratadas. Fala sobre sua infância, a luta pelo direito à educação, o atentado contra sua vida em 09 de outubro de 2012 (obra do Talibã), a recuperação e a nova vida na Inglaterra.

Ao mostrar ao mundo a vida no Paquistão, achei que esta parte do livro ficou extensa e um pouco cansativa.

Malala entrou para a história do prêmio Nobel da Paz e ainda hoje continua sua luta pelo direito à educação no mundo inteiro.

Recomendo!


Boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido leitor, está com dificuldade para postar um comentário?
Siga os passos:
1- Digite no quadro o seu comentário.
2- Em "comentar como" escolha a opção nome/URL e digite seu primeiro nome
3- Não precisa escrever na opção URL
4- Clique em publicar.

Se aparecer a frase "EU NÃO SOU UM ROBÔ", basta seguir as instruções e depois publique.

Bjs