sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A GRANDE MULHER NUA

Resenha por João de Carvalho

Título: A grande mulher nua
Autor: Luís Fernando Veríssimo
Editora: José Olympio
Ano: 1976
Edição: 2ª
Páginas: 149

Apreciação: 5/5
  
Resenha:

É um livro composto por 56 crônicas plenas de humor inteligente. É, na verdade, o cotidiano recuperado com graça, leveza, mordacidade, perspicácia e talento. Após cada conto, aparecem seus cartuns ou charges, com rápidos e expressivos desenhos a bico de pena, ou seja, diretos e inteligentes. 

O humor é uma característica marcante do escritor, jovem à época, início da década de 70. As crônicas são curtas, bem elaboradas, com assuntos variados, entre as quais seleciono: Conheça seu candidato, Herói juvenil, O louva-a-Deus, Remorso, Os frutos do ócio, A coisa, Euforia, Mundo de papel, A grande mulher nua.

Destaco parte do comentário que dele fez o crítico e comentarista Antônio Carlos Hohlfedt: “Luís Fernando tanto maneja a pena de escrever como a de desenhar. É isso, sobretudo que fascina nele. Com simplicidade extraordinária ele transforma uma simples crônica de futebol em uma aguda visão universal.
É um grande senhor das frases bem feitas, atuais e substanciosas”.

Depois deste livro de sua mocidade literária – com ênfase para crônicas atualíssimas – a produção de novos e variados livros surgiram da mente, da pena deste notável escritor moderno.

Pessoalmente muito me agradou esse livro, reflexo de sua juventude, e com convicção recomendo sua leitura que é pura crônica, que marcou o início da vida literária do agradável e atual escritor Luís Fernando Veríssimo.

Boa leitura!


terça-feira, 19 de setembro de 2017

OLGA

Resenha por João de Carvalho

Título: OLGA
Autor: Fernando Morais
Editora: Companhia das letras
1ª publicação: 1985
Páginas: 312

Apreciação:  5/5

Resenha:

Olga nasceu em Munique. Mulher de Luís Carlos Prestes que o governo Vargas entregou, grávida, à Gestapo. Ela havia entrado aos 15 anos para o Grupo Schwabub – Grupo Comunista clandestino, tornando-se ativa militante do regime. Foi presa no Brasil, por ordem expressa do capitão Filinto Müller  (Senador brasileiro que  morreu em julho de 1973, em Orly, na França, em um desastre aéreo).

A história desta mulher é repleta de espionagem, luta, paixão, violência, compondo, segundo o autor, uma vibrante história de amor e intolerância. 

Olga ficou presa até 1942, na Alemanha de Hitler, quando foi levada para a Câmara de Gás, onde morreu. Sua filha, que nasceu em campo de concentração, foi entregue à mãe de Prestes e, criada por ela. Antes de morrer, porém, Olga deixara uma carta de despedida para sua filha e marido, cujo conteúdo está inteiro, neste livro, às fls. 293/294.

Atualmente, Olga Benário dá nome a ruas de 07 cidades e a 91 escolas, fábricas e brigadas operárias da República Democrata Alemã. 

Observem o que a Crítica disse de Olga, na contracapa interna do livro de Fernando Morais

1-Um romance de verdade com aventuras reais (Rubem Braga, TV Globo);
2-Uma fascinante história de amor (Ricardo Setti, Playboy); 
3-Mal comecei a ler o livro e fiquei encantada (Martha Suplicy-TV Globo); 
4-É extremamente emocionante e bem escrito. Se não fosse uma história real, poderia ser lido como um romance (Ruy Castro – Folha de São Paulo); 
5-Um livro extraordinário. Um belo trabalho de pesquisador e de repórter (Moacir Werneck – Jornal do Brasil); 
6-Só agora a fascinante história de Olga é contada de verdade para nós e de forma apaixonada (Marília Gabriela – TV Bandeirantes); 
7-Nos últimos tempos, o livro que mais me interessou foi Olga, que considero notável. Li com paixão (Gérard Lebrun – Jornal da Tarde)

O livro contém várias ilustrações fotográficas do casal Olga e Prestes, focalizando momentos especiais de suas vidas agitadas, até quando foram presos. 

Leitura vibrante de uma história fidedigna. 

Livro pesquisa! Leitura atraente, escrita pelo mineiro Marianense , Fernando Morais. 



quarta-feira, 13 de setembro de 2017

VOLÚPIA DE VELUDO

Resenha por Mara Carvalho

Título: Volúpia de veludo
Volume 3 da Série: “As Modistas”
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Ano:  2017
Página: 320

Apreciação: 5/5

Resenha:

O terceiro livro da série é muito interessante e conta a história de Leone Noirot, a ruiva e  última das irmãs.

A série conta a história de 3 irmãs: Marcelline, Sophia e Leoni. Filhas de um casal de caloteiros: Catherine DeLucey e Edward Noirot.

Agora já com as 2 irmãs m ais velhas muito bem casadas, o trabalho ficou sob a responsabilidade de Leone. Não que as outras tenham abandonado a loja, mas cada uma tinha se afastado temporariamente por motivos pessoais.

Leone é a mais racional das três, ela adora fazer o seu trabalho e a ela restou a incumbência de administrar o negócio.

Mas um lindo homem surge em sua vida, o marquês de Lisburne, entretanto na vida dela o ateliê está sempre em primeiro, segundo e terceiro lugar.

Nesta temporada londrina quem está fazendo companhia para Clara Fairfax é  sua prima lady Gladys. Ela é a nova conquista da Maison Noirot e vai dar muito trabalho para todas.

Um livro leve, rápido de ler e muito gostoso. Adorei!

Há cenas Hot, mas não é tão explicito quanto outras autoras.

Boa leitura!

Ordem  de  leitura  da série:
Volume 3: Volúpia de veludo
Volume 3: Romance entre rendas

domingo, 10 de setembro de 2017

ESCÂNDALOS DE CETIM

Resenha por Mara Carvalho

Título: Escândalos de cetim
Volume 2 da Série: “As Modistas”
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Ano:  2016
Página: 272

Apreciação: 5/5

Resenha:

O segundo livro da série é muito lindo e conta a história de Sophia Noirot, a única loira das 3 irmãs.

Como eu havia dito na resenha do primeiro livro, a série conta a história de 3 irmãs: Marcelline, Sophia e Leoni. Filhas de um casal de caloteiros: Catherine DeLucey e Edward Noirot.

Mesmo com uma das irmãs muito bem casada, com o duque de Clevedon, elas continuam com a mesma dedicação à loja, a Maison Noirot, na verdade elas eram apaixonadas pelo que faziam.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

A MÃO E A LUVA

Resenha por João de Carvalho

Título: A Mão e a Luva
Autor: Machado de Assis
Editora: Martim Claret
Ano: 2005
Páginas: 141

Apreciação: 5/5

Resenha:

O título é uma bela e solene metáfora que encerra um romance, cujo desfecho realiza duas vontades alicerçadas no amor de marido e mulher. A razão mais doce desse amor, baseada na confiança e nas qualidades do pretendente, é que a descoberta do amor verdadeiro, que se deságua no casamento, é conduzida com perfeição pelo autor, profundo conhecedor da alma apaixonada.

Impera sobretudo a força de vontade da mulher, Guiomar, que entre três admiradores escolhe, com base na razão, seu verdadeiro amor. Entre três pretendentes, apenas um lhe toca o coração feminino. Dois são descartados com categoria e elegância, contrariando as opiniões de duas senhoras, hábeis na sugestão de conquista amorosa, mas que queriam apenas um casamento arranjado, sem o amor consciente de Guiomar. Daí o título “A mão e a luva”. O verdadeiro amor venceu a disputa pelo feliz enlace.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

BANQUETE COM OS DEUSES

Resenha por João de Carvalho

Título: Banquete com os deuses
Autor: Luis Fernando Veríssimo
Editora: Objetiva
Ano: 2003
Páginas: 228

Apreciação:  5/5

Resenha:


O autor deste livro de crônicas é Luis Fernando Veríssimo, um dos mais conhecidos e respeitados autores da literatura contemporânea. Suas obras estão sendo relançadas pela Editora Objetiva, com esta sequência intitulada “Coleção Ver!ssimo: As aventuras que os homens contam, A mesa voadora, Comédias para ler na escola, Sexo na cabeça, Todas as histórias do analistas de Bagé”.

Eis aqui, como a Editora aprecia e apresenta Banquete com os deuses. Louco por cinema, música e literatura, Veríssimo nos convida a partilhar deste banquete – uma seleta sequência de textos, escritos ao longo de vinte anos, em que analisa algumas de suas paixões culturais!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

DOS DELITOS E DAS PENAS

Resenha por João de Carvalho

Título: Dos delitos e das penas
Autor: Césare Beccaria
Editora: Martin Claret
Editora Afiliada: ABDR
Ano: 2005
Páginas: 132

Apreciação: 5/5

Resenha:

Césare Bonesana, marquês de Beccaria, 1738-1791, aos vinte e seis anos começou a escrever o seu primeiro livro, com o título acima, no qual “Ele critica brechas do sistema penal de seu tempo para arbítrios dos juízes, em razão de leis imprecisas e arcaicas. Isso ele fez em nome da humanidade, da razão e do sentimento. Sofreu campanha infamante por parte de seus adversários”.  Como advogado inteligente e hábil, a tudo venceu com ousadia e sabedoria.

O fato é que sua obra teve repercussão extraordinária em todo o mundo. É citado por todos nós, advogados amantes do júri, pela beleza, clareza e objetividade de seus comentários jurídicos.

sábado, 19 de agosto de 2017

O CASTELO DE PAPEL

Resenha por Mara Carvalho

Título: O Castelo de Papel
Autora: Mary del Priore
Editora: Rocco
Edição: 2013
Páginas: 317

Apreciação: 5/5

Resenha:

Um livro com informações  históricas somado a leveza de um romance.

A autora nos apresenta princesa Isabel, filha de D. Pedro II e o encontro com o futuro marido Gastão, o Conde D’Eu. Os fatos ocorrem no segundo Reinado.

O livro conta como era o relacionamento entre o casal, o desejo de ter filhos e a dificuldade de Isabel para engravidar. Narra muitos fatos  e viagens através das cartas entre Isabel e o Pai, entre Isabel e o marido, entre Isabel e sua preceptora: Condessa de Barral, e  entre o Conde d”Eu e o pai, o Duque de Néumors.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

1984

Resenha por João de Carvalho

Título: 1984 
Autor: George Orwell (Eric Arthur Blair) 
Editoras: Cia. Das Letras / Saraiva 
ano de publicação da obra: 1949 
Páginas: 416 

Apreciação: 5/5 

Resenha:

1984 – Este é o título do livro escrito por George Orwell, pseudônimo de Eric Arthur Blair, jornalista, ensaísta, nascido na Índia em 1903, filho de pai britânico, onde se projetou como notável escritor. Na Índia serviu na polícia do Imperador, onde viu a pressão dos militares ingleses em seu domínio no estrangeiro. Na Inglaterra ele combateu ferozmente o totalitarismo em florescência, através de seu livro-mensagem, traduzido em mais de 65 países. 

Esta obra, 1984, que inicialmente seria chamada de “O último homem da Europa”, trata de uma das piores formas de governo vigente à época: o totalitarismo. Uma verdadeira Mazela política. Aliás, o autor já denunciara isto no seu livro “A Revolução dos Bichos”, revelando seu senso de liberdade e justiça.

domingo, 6 de agosto de 2017

A CABANA DO PAI TOMÁS

Resenha por João de Carvalho

Título: A cabana do Pai Tomás
Autora: Harriet Beecher Stowe
Jornal: “The National ERA”

1ª publicação: 1852
Editora Atual: Manole
Páginas: 676

Apreciação: 5/5

Resenha: 


Harriet Beecher Stowe, 1811-1896 tendo vivido 85 anos. Sua maior glória, nos EUA, foi ter escrito A Cabana do Pai Tomás, publicado em 1852, que se tornou um dos maiores best-sellers da história da literatura universal, porque virou uma verdadeira coqueluche do século. 

Foi ele o maior símbolo de resistência e liberdade, tendo ganhado lugar privilegiado nas versões em teatro, cinema e televisão. São 676 páginas que expõem e defendem o pensamento claro, positivo, destemido e corajoso da escritora desde seus 15 anos, denunciando as mazelas da escravidão americana. Fenômeno de venda!

sábado, 5 de agosto de 2017

O PALÁCIO JAPONÊS

Resenha por João de Carvalho

Título: O Palácio Japonês
Autor: José Mauro de Vasconcelos
Editora: Cia. Melhoramentos de São Paulo
Ano: 2003
Páginas: 96

Apreciação: 4/5

Resenha: 

José Mauro de Vasconcelos, 1920-1984, escritor, família pobre, tendo sua irrequieta e inteligente juventude, ocorrido na capital Natal, no Estado do Rio Grande do Norte, ao lado de seus tios. Na vida profissional exerceu as atividades de pescador, professor, modelo, bailarino, garçom e ator de cinema, teatro e televisão. Por viajar bastante, adquiriu muito conhecimento, dedicando-se a narração de histórias várias. Usou da literatura para vários fins de aperfeiçoamento pessoal, com grande capacidade para enriquecimento de suas obras como: O Meu Pé de Laranja Lima, Coração de Vidro, O Palácio Japonês, etc.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

BAILE DE MÁSCARAS

Título: Baile de Máscaras
Autor: Elcinho Pimenta
Editora: Pimenta
Ano: 2017
Páginas: 51

Apreciação: 4/5

Comentários por Simone Carvalho:

Neste novo livro, o autor itabiritense Elcinho Pimenta, apresenta vinte e cinco maravilhosos poemas. Escritos com toda a inspiração de sua alma, interpreta magnificamente os sentimentos mais profundos. Lendo-os percebemos a maneira direta e contundente que ele tem de falar do amor pelas pessoas, pela cidade natal, pelos sonhos, pelos ideais...

segunda-feira, 31 de julho de 2017

DECODIFICANDO DA VINCI

Resenha por João de Carvalho

Título: Decodificando Da Vinci
Subtítulo: Os Fatos por trás da ficção de O Código Da Vinci
Autora: Amy Welborn
Editora: Cultrix (SP)
Edição: 2004
Páginas: 136

Apreciação: 5/5

 Resenha:

O livro foi escrito por Amy Welborn, no qual são narrados os fatos por trás de “O Código Da Vinci”. Como se trata de uma obra polêmica, restrinjo-me à transcrição de parte da contracapa externa final do livro, nestes exatos termos:

“O best-seller “O Código Da Vinci” levantou questões intrigantes para cristãos e não-cristãos. Os leitores do romance ficam imaginando se é realmente verdade o que o autor Dan Brown diz: Será possível que tudo que aprendemos sobre origens do cristianismo seja falso? Este (Decodificando Dan Brown) é o único livro que trata das diversas questões levantadas em O Código Da Vinci.

terça-feira, 25 de julho de 2017

O POETA E O CAVALEIRO

Resenha por João de Carvalho

Título: O Poeta e o Cavaleiro
Autor: Pedro Bandeira
Editora: FTD S/A.
Ano: 1998
Páginas: 95


Apreciação: 4/5

Resenha:

Pedro Bandeira, oriundo de Santos, residente em São Paulo, dedicou-se à criação literária para crianças e jovens. Neste agradável e bem escrito livro o autor “pretendeu discutir as dificuldades que todos nós temos para nos defender dos ditadores e dos políticos que fazem belos discursos, que  nos enganam com palavras bonitas e que inventam falsas ameaças para nos dominar e para tirar vantagens de seus cargos”.

É um retrato autêntico da espetaculosa política de hoje, com muito falatório, poucas mensagens e muitas tentativas de se justificar e também seus atos e atitudes diante do povo. O falso dragão de que fala a história é uma criação inverídica de problemas políticos que não existem, mas atendem seus desejos e ambição de poder, com altos salários e mordomias múltiplas. Querem tirar vantagens de toda ordem que possam advir de seus cargos. O povo que se dane com suas necessidades e seus múltiplos problemas.

domingo, 23 de julho de 2017

SEDUÇÃO DA SEDA

Resenha por Mara Carvalho

Título: Sedução da seda
Volume 1 da Série: “As Modistas”
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Ano:  2016
Página: 304

Apreciação:  5/5

Resenha:
Que lindeza de história, fiquei encantada!

O livro inicia com a história de 3 irmãs: Marcelline, Sophia e Leoni. Filhas de um casal de caloteiros: Catherine DeLucey e Edward Noirot.

Com um dom maravilhoso para costura, Marcelline e suas irmãs são proprietárias de um refinado ateliê feminino em Londres. Mas apesar de seu talento, beleza nos modelos e roupas exclusivas, o ateliê ainda não conseguiu uma cliente de peso.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

O INIMIGO SECRETO


Resenha por João de Carvalho

Título: O Inimigo Secreto
Autora: Agatha Christie
Editora: Record
Edição: 11ª
Ano: 1997
Páginas: 222

Apreciação: 5/5
  
Resenha:

Aghatha Mary Clarissa Miller Christie é seu nome completo, 1890-1976, viveu com toda lucidez e dedicação o seu incansável trabalho intelectual, por 85 anos. Conhecida no mundo inteiro pela produção literária, com vendagem estupenda de seus livros, tendo como principais detetives Poirot e Miss Marple. Autora de mais de cem livros projetando-a como romancista, contista, dramaturga e poetisa. Seu túmulo está na Igreja de Santa Maria, Oxfordshire, Inglaterra.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

SENHORITA MACKENZIE

Resenha por Mara Carvalho

Título: Senhorita Mackenzie
Autor: Anthony Trollope
Editora: Pedrazul
Ano: 1865
Página: 455

Apreciação: 5/5

Resenha:

Margaret Mackenzie era uma jovem solteira, sempre submetida aos homens, primeiro por seu pai, depois pelo irmão Walter. Sem diversão vivendo uma vida monótona e solitária somente para atendê-los ela, aos 35 anos de idade, se descobre herdeira do irmão.

Após passar despercebida durante toda sua vida agora é uma mulher com uma bela fortuna então resolve desfrutar um pouco das possibilidades da vida. Decide permanecer solteira, muda-se para a cidade de Littlebath na intensão  de ir a festas e conviver com a sociedade. Ela decide cuidar da educação da sua sobrinha Susanna Mackenzie, filha de seu irmão Tom que passa a morar com  a tia.

sábado, 8 de julho de 2017

BOM CRIOULO

Resenha por João de Carvalho


Título: Bom Crioulo
Autor: Adolfo Caminha
Editora: Ano: 2010 - UFMG
Páginas: 47

Editora Martin Claret
Páginas:162

Apreciação: 4/5

Resenha :

Neste livro Adolfo Caminha (autor da obra), ex-oficial da Armada, trata do namoro entre dois marinheiros utilizando vasta soma de informação obtida a partir de Sodomia, excepcionalmente no Exército; ainda sentindo-se afrontada pelo romance, em 1937, a Marinha solicitou e obteve do presidente Getúlio Vargas, o embargo de sua reedição. Só em 1956 foi posta à venda. E houve também as edições seguintes em 1966, 1970, 1991 e 1997.

O Bom Crioulo é um marco pioneiro na literatura de ficção da temática homossexual (entre Amaro e Aleixo).