quarta-feira, 26 de setembro de 2018

CÂNDIDO ou o OTIMISMO


Apreciação por João de Carvalho


Título: Cândido ou o Otimismo
Autor: Voltaire (François Marie Arouet)
Editora: L & M  Pocket
Ano: 1759
Gênero: Romance
Páginas: 144


Pontuação: 4/5

Apreciação:
Acredito ser esta a obra-prima, por ser o título, talvez, mais conhecido do Escritor deste “Conto”. O autor é o escritor, filósofo, dicionarista Voltaire (François Marie Arouet, 1604-1778), nascido e falecido em Paris.

O fato mais importante – que influenciou toda a política das Américas e da Europa - foi a Revolução Francesa, no final do Século XVIII, teve neste escritor um dos pilares mais expressivos para a queda da Bastilha e dos poderes absolutista e religioso da época. Seu “Dicionário Filosófico” foi base antecipada para a atuação daqueles que fizeram a Revolução. Foi ele um dos “Cimos do pensamento humano e uma das glórias mais indiscutíveis da história da inteligência”, segundo se lê na Enciclopédia Barsa.

O livro “Cândido” (1759) é um tipo de novela, com a história de um rapaz bom, cheia de ironia e sarcasmo. Apaixonado por uma jovem chamada “Cunegundes”, foi expulso, pelo pai dela, do Caselo de Vesfálio, do barão Thunder. Pangloss tornou-se preceptor e professor de “Cândido”, que seguia uma filosofia liberalista, sendo adepto do Otimismo. Seguia a Filosofia de Leibnz! A “tolerância” é uma virtude absolutamente atual.  Martinho, seu companheiro de viagem era uma figura bem diferente, pessimista e negativista. Os dois companheiros  andaram por diversos países em busca de “Cunegundes”. Outros personagens aparecem no “Conto” como: Jacques, Pouette, Velha e um Frade.

Em suma, “Cândido” ou Otimismo”, como Conto, em tom de sátira, é um verdadeiro romance picaresco satírico! Serviu como base de um filme de Mazaropi e também como tema de uma novela. Há muitos comentários de seu enredo na Internet. Apesar de antigo é muito atual na narração e apreciação de seu tema: o otimismo! Voltaire foi atento à crítica do clero, do poder absoluto dos reis, defendendo: a igualdade jurídica e a liberdade de expressão.

Boa leitura!



quarta-feira, 12 de setembro de 2018

O ÚLTIMO JURADO


Apreciação por João de Carvalho

Título: O Último Jurado
Autor: John Grisham
Editora: Rocco
Edição: 2004
Páginas: 391



Pontuação: 5/5

Apreciação:

O autor deste best seller americano é o notável escritor várias vezes premiado pela crítica, chegando à vendagem de mais de 100 milhões de exemplares de uma extensa obra, abordando especialmente casos com personagens misteriosas. Como advogado desenvolveu hábitos valiosos de aplicação da lei penal, conseguindo, pelos múltiplos mistérios envolvidos na trama, uma vasta clientela leitora pelo mundo afora. Seus livros foram traduzidos para mais de trinta idiomas mundiais, com enorme aceitação e crítica favorável ao seu desempenho, como autor de conteúdo misterioso, portando atraente.

Entre suas obras constam: A Firma, O Dossiê Pelicano, A Câmara de Gás, A Intimação, O Advogado, O Júri, O Sócio, O Rei das Fraudes, etc.

O destaque especial, no momento, é para “O Último Jurado”, que descreve a situação de uma jovem e bela viúva, Rodha Kassellaw, brutalmente assassinada, após ser estuprada por um membro da família Padgit, chamado Danny Padgit. Ele é julgado com todo o rigor do tribunal de Clanton, no Mississipi. O final do julgamento foi surpreendente e dramático quando o réu ameaçou se vingar dos jurados, caso fosse condenado!

Condenado a nove anos depois, pela lei daquele Estado, recebeu o livramento condicional. Voltando à vida normal começou sua vingança, com final surpreendente.

Leia você e verá o poder descritivo do autor e como segue o enredo com inteligente desfecho final dado ao romance policial. Como sempre apreciei livros policiais, recomendo a leitura de “O Último Jurado”, um livro atraente do princípio ao fim, com ficção americana.

Boa Leitura!