sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

OS PÁSSAROS SELVAGENS

Resenha por João de Carvalho


Título: Os Pássaros Selvagens
Autor: José Carlos Leal
Editora: Editora Lê
Edição: 2ª edição
Páginas: 174

Apreciação: 4/5
  
Resenha:

Escrito por José Carlos Leal desperta um bom interesse pela leitura entre os jovens de ambos os sexos. Aborda temas importantes e sérios, do gosto da juventude, que merecem e precisam ser tratados com seriedade e capacidade porque o jovem conhece do assunto. Ele está disponível para os escritos atraentes e que dizem respeito às suas buscas diárias na literatura que visa seus interesses inéditos e corretos.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

AS MENTIRAS QUE OS HOMENS CONTAM

Resenha por João de Carvalho

Título: As Mentiras que os Homens Contam
Autor: Luís Fernando Veríssimo
Editora: Objetiva
Páginas: 166

Pontuação: 5/5

Apreciação:

Natural de Porto Alegre, RS, onde mora até hoje. É um observador constante do mundo ao seu redor, e um dos que conhecem além das suas fronteiras. Já li dele, neste aspecto, uma bela e viva descrição da França, em seus múltiplos detalhes, ao lado de outros escritores de alta expressão literária nacional. Ele sempre viaja, observa e investiga. Os jornais do nosso País transmitem, com sucesso, muitos de seus atraentes e atuais textos. Ele é também um grande apreciador da boa música, através de um conjunto de agradável apreciação musical. Luís Fernando Veríssimo é observador bem-humorado, sempre com repertório divertido, onde brilha sua capacidade observadora.

domingo, 3 de dezembro de 2017

CONFESS

Resenha por Lívia Alves
Título: Confess
Autora: Colleen Hoover 
Editora: Atria Books
Ano de edição: 2015
Nº de Páginas: 320
Apreciação: 5/5
Resenha:
Auburn  é uma garota de 20 que já sofreu muito e ainda sofre! Ela tem seus segredos, mas não os revela, não por medo e sim por vergonha. 

Owen ele é simplesmente o homem perfeito, também tem seus segredos, mas também os mantém por vergonha e medo de perder a pessoa que ama.  Ele é um artista e o nome do seu estúdio é Confess, onde tem uma abertura para as pessoas fazerem confissões anônimas, qualquer confissão qualquer segredo, e é baseado nessas confissões que ele faz seus quadros.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

CASA DE PENSÃO


Resenha por João de Carvalho


Título: Casa de Pensão
Autor: Aluísio de Azevedo
Editora: Martin& Claret
Páginas: 334
Gênero: Romance

Pontuação: 5/5

Resenha:

Aluísio de Azevedo (1857/1913), maranhense que faleceu na Argentina é o autor deste Livro, sendo um dos melhores e maiores autores do Naturalismo, corrente que deu sequência ao Realismo. A narrativa é marcada pela vigorosa análise social a partir de grupos humanos marginalizados em que se valoriza o coletivo, como em “O Cortiço”, “Casa de Pensão” e “O Mulato”, seus maiores e mais conhecidos romances. O romance Naturalista   leva o realismo às últimas consequências. Com esta obra foi o primeiro escritor das “massas”.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O HINO DA CABOCLA

                           
  














                                    (Junqueira Freire)

Sou Índia, sou virgem, sou linda, sou débil
— É quanto vós outros, ó tapes, dizeis!
Sabei bravos tapes, que sei com destreza
Cravar minhas setas nos peitos dos reis!

Sabei que não canto somente prazeres,
Sabei que não gemo somente de amores,
Sabei que nem sempre vagueio nos bosques,
Sabei que nem sempre me adorno de flores.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

LIÇÕES DA SENZALA

Resenha por João de Carvalho

Título: LIÇÕES DA SENZALA
Autora: Maria Nazareth Dória (psicógrafa)
Editora: Lúmen Editorial Ltda.
Edição: 2ª
Ano: 2006
Páginas: 204

Apreciação: 5/5
  
Resenha:

É um romance psicografado por Maria Nazareth Dória, a médium espírita, sergipana da Aldeia de Canhoba.

Estudou em Aracaju, foi alta funcionária da Petrobras, onde se aposentou. Hoje, ela se dedica à uma Instituição sem fins lucrativos, com apoio de profissionais formados em diversas profissões. Atua também ministrando palestras e cursos sobre a doutrina espírita, sempre exercendo a mediunidade, como de fato demonstra na elaboração deste livro “Lições da Senzala” pelo espírito Luís Fernando (Pai Miguel de Angola).

sábado, 4 de novembro de 2017

A ÚLTIMA PEÇA

Resenha por Lívia Alves 

Título: a última Peça

Título: a última peça
Autora: Karina Heid
Editora: Independente
Ano de edição: 2016
Páginas: 239

Apreciação:  5/5

Resenha:

É um livro em que sem perceber você se envolve e fica difícil largar a história antes de chegar ao final. Você sente na pele os sentimentos confusos de Bia e os que afloram em João Pedro, ou melhor, reacendem, pois nunca deixou de existir. Esse é um livro muito intenso, cheio de emoções e faz você se apaixonar bem rápido por esse amor adolescente que mesmo depois de tanto tempo ainda resiste. 

terça-feira, 31 de outubro de 2017

O LIVRO DOS MANUAIS

Resenha por João de Carvalho

Título: O Livro dos Manuais
Autor: Paulo Coelho de Souza
Editora: Brmalls
Ano: 2008
Páginas: 111


Apreciação: 4/5
Resenha:
Paulo Coelho de Souza é carioca, nascido aos 24/08/1947, portanto, atualmente com 70 anos, teve sua biografia escrita por Fernando Morais. Trabalhou, ao longo de sua vida como ator, diretor de textos, redator de jornal. Como escritor, suas obras têm grande aceitação no Mercado. É membro da Academia Brasileira de Letras, ocupando a Cadeira nº 21. Suas obras foram traduzidas, segundo a mídia, para 73 idiomas. Seu melhor livro em minha opinião é “O Alquimista”. É um autor vivo que certamente tem ainda muita coisa a oferecer no setor literatura. 

terça-feira, 24 de outubro de 2017

OS INOVADORES

Resenha por João de Carvalho

Título: Os Inovadores.
Autor: Walter Isaacson
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2014
Páginas: 505

Apreciação: 4/5
Resenha:
É uma biografia da revolução digital pelo computador e pela internet, que são duas das mais importantes invenções de nosso tempo. Foram criadas de maneira colaborativa e não solitariamente, como as descobertas de Edison, Bell e Morse. Foi um verdadeiro trabalho em equipe, apesar de viverem em tempos diferentes.
“A história do mundo, dizia Thomas Carbyle, não é mais do que a biografia dos grandes homens. Quando se fala em inovação, na era digital, entram em cena várias forças pessoais culturais e históricas. A colaboração que criou a era digital não ocorreu apenas em contemporâneos, mas também entre gerações”.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O AZUL DA VIRGEM

Resenha por Mara Carvalho

Título: o azul da Virgem
Autora: Tracy  Chevalier
Editora: Bertrand Brasil
Ano: 2007
Páginas: 352

Apreciação: 3/5

Resenha:
  
O livro alterna passado e presente com o foco em duas mulheres, no passado em Isabella du Moulin e no presente em Ella Turner.

Isabella, uma menina ruiva de olhos claros que viveu na França no século VI. Num dia o sol incide sobre uma pintura do nicho da porta onde será colocada a imagem da Virgem e reflete nos cabelos de Isabella que vai ficando  ruivo, os mesmos ruivos dos cabelos da Santa. Todos fizeram uma ligação com os cabelos da menina que passou a ser chamada de La Rousse  (a ruiva).

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

O PRIMO BASÍLIO

Resenha por João de Carvalho

Título: O Primo Basílio
Autor: Eça de Queirós
Editora: Martin Claret
Ano: 2005
Páginas: 406

Apreciação: 5/5

Resenha:
  
Eça de Queirós, 1845-1900, é um autor Português da corrente literária realista, sendo esta obra a melhor deste período que, segundo os autores do ensino médio brasileiro, abrange três fases bem distintas:

“ Prosas Bárbaras, O Crime do Padre Amaro e A Cidade e as Serras”. Há autores que consideram Eça como naturalista, prefiro realista. Há uma ligação muito forte, entre este autor e o Brasil, porque seu avô e seu pai eram brasileiros. Foi advogado, cônsul, colunista do jornal Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro, fortalecendo assim seus laços literários com o Brasil.

sábado, 7 de outubro de 2017

BELGRAVIA

Resenha por Mara Carvalho

Título: Belgravia
Autor: Julian Fellowes
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 432

Pontuação: 5/5

Resenha:

Um livro maravilhoso!!!  Não esperava nada menos do  incrível escritor Julian Fellowes, autor de Downton Abbey.

Inicia com a história de amor entre Sophia Trenchard e Edmund Brockenhurst (lorde Bellasis). Ela filha de um rico comerciante e ele herdeiro de um nobre.

O enredo se desenrola a partir de 1840 em Londres. Dá para imaginar quantos problemas eles terão de enfrentar, já que na época a aristocracia era muito rigorosa ao que se refere a casamentos entre pessoas de classes sociais diferentes.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

ESPUMAS FLUTUANTES

Resenha por João de Carvalho

Título: Espumas Flutuantes
Autor: Castro Alves
Editora: Martin Claret
Ano:  (escrito em 1870)
Edição: 2005
Páginas: 188

Pontuação: 5/5

Resenha:


Antônio de Castro Alves (1847-1871), viveu 24 anos, filho de pai médico e mãe de talento musical. Aos 13 anos tomava parte nos saraus literários. Semeava, na visão de Ebion de Lima, nos jornais, os seus versos, fazendo muitas vezes delirar o público. Este monumento humano jovem foi destruído pela tuberculose, também vítima de um acidente: o disparo de uma arma no seu pé.

Literariamente, a gente vê as duas grandes faces de seu estro poético:

terça-feira, 26 de setembro de 2017

O QUINZE

Resenha por João de Carvalho

Título: O Quinze
Autora: Rachel de Queiroz
Editora: José Olympio Editora S.A.
Edição: 41ª
Páginas: 112

Apreciação:  5/5

Resenha:

Rachel de Queiroz nasceu em Fortaleza, Ceará, aos 17 de novembro de 1910. Seus pais fogem da seca em 1917, com a família, para o Rio de Janeiro, depois para Belém do Pará e em seguida para Fortaleza. Ali Rachel de Queiroz formou-se Normalista, aos 15 anos de idade. Depois, como Jornalista, em 1930, escreve seu romance “O Quinze”, naturalmente relembrando-se da “Seca” mais severa do Nordeste brasileiro, em 1915. Daí o nome do livro. O mundo social da época se agita com este livro pequeno, profundamente realista, escrito com tanto sentimento que, em alguns trechos, parece pura poesia! A crítica da época recebeu a primeira edição com entusiasmo. Conquistou  em 1931o prêmio da Fundação Graça Aranha ( José Pereira de Graça Aranha, autor do livro “Canaã” ). Outros prêmios surgiram referentes à sua profícua bibliografia.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

A GRANDE MULHER NUA

Resenha por João de Carvalho

Título: A grande mulher nua
Autor: Luís Fernando Veríssimo
Editora: José Olympio
Ano: 1976
Edição: 2ª
Páginas: 149

Apreciação: 5/5
  
Resenha:

É um livro composto por 56 crônicas plenas de humor inteligente. É, na verdade, o cotidiano recuperado com graça, leveza, mordacidade, perspicácia e talento. Após cada conto, aparecem seus cartuns ou charges, com rápidos e expressivos desenhos a bico de pena, ou seja, diretos e inteligentes. 

terça-feira, 19 de setembro de 2017

OLGA

Resenha por João de Carvalho

Título: OLGA
Autor: Fernando Morais
Editora: Companhia das letras
1ª publicação: 1985
Páginas: 312

Apreciação:  5/5

Resenha:

Olga nasceu em Munique. Mulher de Luís Carlos Prestes que o governo Vargas entregou, grávida, à Gestapo. Ela havia entrado aos 15 anos para o Grupo Schwabub – Grupo Comunista clandestino, tornando-se ativa militante do regime. Foi presa no Brasil, por ordem expressa do capitão Filinto Müller  (Senador brasileiro que  morreu em julho de 1973, em Orly, na França, em um desastre aéreo).

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

VOLÚPIA DE VELUDO

Resenha por Mara Carvalho

Título: Volúpia de veludo
Volume 3 da Série: “As Modistas”
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Ano:  2017
Página: 320

Apreciação: 5/5

Resenha:

O terceiro livro da série é muito interessante e conta a história de Leone Noirot, a ruiva e  última das irmãs.

A série conta a história de 3 irmãs: Marcelline, Sophia e Leoni. Filhas de um casal de caloteiros: Catherine DeLucey e Edward Noirot.

Agora já com as 2 irmãs m ais velhas muito bem casadas, o trabalho ficou sob a responsabilidade de Leone. Não que as outras tenham abandonado a loja, mas cada uma tinha se afastado temporariamente por motivos pessoais.

domingo, 10 de setembro de 2017

ESCÂNDALOS DE CETIM

Resenha por Mara Carvalho

Título: Escândalos de cetim
Volume 2 da Série: “As Modistas”
Autora: Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Ano:  2016
Página: 272

Apreciação: 5/5

Resenha:

O segundo livro da série é muito lindo e conta a história de Sophia Noirot, a única loira das 3 irmãs.

Como eu havia dito na resenha do primeiro livro, a série conta a história de 3 irmãs: Marcelline, Sophia e Leoni. Filhas de um casal de caloteiros: Catherine DeLucey e Edward Noirot.

Mesmo com uma das irmãs muito bem casada, com o duque de Clevedon, elas continuam com a mesma dedicação à loja, a Maison Noirot, na verdade elas eram apaixonadas pelo que faziam.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

A MÃO E A LUVA

Resenha por João de Carvalho

Título: A Mão e a Luva
Autor: Machado de Assis
Editora: Martim Claret
Ano: 2005
Páginas: 141

Apreciação: 5/5

Resenha:

O título é uma bela e solene metáfora que encerra um romance, cujo desfecho realiza duas vontades alicerçadas no amor de marido e mulher. A razão mais doce desse amor, baseada na confiança e nas qualidades do pretendente, é que a descoberta do amor verdadeiro, que se deságua no casamento, é conduzida com perfeição pelo autor, profundo conhecedor da alma apaixonada.

Impera sobretudo a força de vontade da mulher, Guiomar, que entre três admiradores escolhe, com base na razão, seu verdadeiro amor. Entre três pretendentes, apenas um lhe toca o coração feminino. Dois são descartados com categoria e elegância, contrariando as opiniões de duas senhoras, hábeis na sugestão de conquista amorosa, mas que queriam apenas um casamento arranjado, sem o amor consciente de Guiomar. Daí o título “A mão e a luva”. O verdadeiro amor venceu a disputa pelo feliz enlace.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

BANQUETE COM OS DEUSES

Resenha por João de Carvalho

Título: Banquete com os deuses
Autor: Luis Fernando Veríssimo
Editora: Objetiva
Ano: 2003
Páginas: 228

Apreciação:  5/5

Resenha:


O autor deste livro de crônicas é Luis Fernando Veríssimo, um dos mais conhecidos e respeitados autores da literatura contemporânea. Suas obras estão sendo relançadas pela Editora Objetiva, com esta sequência intitulada “Coleção Ver!ssimo: As aventuras que os homens contam, A mesa voadora, Comédias para ler na escola, Sexo na cabeça, Todas as histórias do analistas de Bagé”.

Eis aqui, como a Editora aprecia e apresenta Banquete com os deuses. Louco por cinema, música e literatura, Veríssimo nos convida a partilhar deste banquete – uma seleta sequência de textos, escritos ao longo de vinte anos, em que analisa algumas de suas paixões culturais!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

DOS DELITOS E DAS PENAS

Resenha por João de Carvalho

Título: Dos delitos e das penas
Autor: Césare Beccaria
Editora: Martin Claret
Editora Afiliada: ABDR
Ano: 2005
Páginas: 132

Apreciação: 5/5

Resenha:

Césare Bonesana, marquês de Beccaria, 1738-1791, aos vinte e seis anos começou a escrever o seu primeiro livro, com o título acima, no qual “Ele critica brechas do sistema penal de seu tempo para arbítrios dos juízes, em razão de leis imprecisas e arcaicas. Isso ele fez em nome da humanidade, da razão e do sentimento. Sofreu campanha infamante por parte de seus adversários”.  Como advogado inteligente e hábil, a tudo venceu com ousadia e sabedoria.

O fato é que sua obra teve repercussão extraordinária em todo o mundo. É citado por todos nós, advogados amantes do júri, pela beleza, clareza e objetividade de seus comentários jurídicos.

sábado, 19 de agosto de 2017

O CASTELO DE PAPEL

Resenha por Mara Carvalho

Título: O Castelo de Papel
Autora: Mary del Priore
Editora: Rocco
Edição: 2013
Páginas: 317

Apreciação: 5/5

Resenha:

Um livro com informações  históricas somado a leveza de um romance.

A autora nos apresenta princesa Isabel, filha de D. Pedro II e o encontro com o futuro marido Gastão, o Conde D’Eu. Os fatos ocorrem no segundo Reinado.

O livro conta como era o relacionamento entre o casal, o desejo de ter filhos e a dificuldade de Isabel para engravidar. Narra muitos fatos  e viagens através das cartas entre Isabel e o Pai, entre Isabel e o marido, entre Isabel e sua preceptora: Condessa de Barral, e  entre o Conde d”Eu e o pai, o Duque de Néumors.