quarta-feira, 30 de novembro de 2016

ENQUANTO EU TE ESQUECIA

Resenha por Mara Carvalho

Título: Enquanto eu te esquecia
Autora: Jennie Shortridge
Editora: Gente
Ano: 2014
Páginas: 384
Apreciação: 3/5

Resenha:

Lucie Walker foi encontrada na praia em São Francisco, não sabia seu nome, de onde vinha, nem a que família pertencia. Ela estava sofrendo de amnésia. Mas alguns dias no hospital psiquiátrico e com sua foto na mídia bastaram para que fosse encontrada por seu noivo Grady Goodball.

Assim começa o romance da autora Jennie Shortridge. Lucie, aos 39 anos de idade tinha mil perguntas, ela queria se reconhecer. Ela era como uma página em branco e o livro nos faz perceber exatamente o que a personagem está sentindo, uma sensação de vazio, de insegurança de medo do que está por vir. 

terça-feira, 29 de novembro de 2016

A GUARDIÃ

Resenha por Lívia Alves

Título: A Guardiã
Autora: Melissa Marr
Editora: Rocco
Ano: 2011
Páginas: 341

Apreciação: 5/5

Resenha:

Confesso que eu esperava algo mais sombrio e acabei me deparado com uma história mais leve do que eu imaginava.

A autora conseguiu com sua escrita impecável, nos conduzir por um labirinto de segredos e mistérios, que a princípio aparentava ser somente de uma família, mas depois conduz para a história de toda cidade. Além desse importante fator, ela conseguiu explicar todos os segredos sem ser uma leitura cansativa, uma descoberta me levava a outro mistério, deixando-me mais e mais curiosa. Por fim, conseguiu fechar com chave de ouro com uma reviravolta na trama de tirar o fôlego. 

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

COMO PREGAR UM BOTÃO

Resenha por Simone Carvalho

Título: COMO PREGAR UM BOTÃO
e outras coisas úteis que sua avó sabia fazer
Autor: Erin Bried
Tradução: Doralice Lima
Editora: Civilização Brasileira
Páginas: 316
Ano: 2.011


Apreciação: 4/5

Resenha :

Este livro serve como um guia para economizar, aquecer o coração e simplificar a vida.

Trata de (quase) todos os assuntos que se possa imaginar. Desde as situações mais corriqueiras da vida, como pregar um botão, até situação financeira. Passa por: como formar uma reserva para emergências, como fazer compras no supermercado, como negociar um preço vantajoso, como formar um clube de leitura, como fazer um bolo, como melhorar a postura, como arrumar a cama, como plantar na janela uma horta de temperos, como ser voluntária, como dizer o que pensa numa reunião comunitária... etc... etc... etc...

sábado, 26 de novembro de 2016

DOM CASMURRO

Resenha por João de Carvalho

Título: Dom Casmurro
Autor: Machado de Assis
1ª publicação: 1899
Editora: Martin & Claret
Páginas: 218

Apreciação: 5/5

Resenha :

Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) era um leitor apaixonado das obras dos escritores franceses e brasileiros.

Como Presidente fundador da Academia Brasileira de Letras deixou obras imortais para a nossa literatura. Mas, suas obras tiveram também, boa influência dos literatos ingleses.

Seus romances são divididos em duas fases mui importantes: A Romântica e a Realista.

Dom Casmurro é obra da segunda fase e data de 1899. Seus romances desta fase são concentrados em: Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1891), Esaú e Jacó (1904), Memorial de Aires (1908). Mas, a mais conhecida e célebre é sem dúvida a que estamos comentando: Dom Casmurro.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

LAVOURA ARCAICA

Resenha por Mara Carvalho

Título: Lavoura Arcaica
Autor: Raduan Nassar
1ª publicação: 1975
Editora: Companhia das Letras
Ano: 1989
Páginas:200



Apreciação: 4/5

Resenha:

O livro inicia com a fuga de André, um dos filhos de um simples casal que vive na fazenda, zona rural. Os pais são tradicionais e os filhos são criados sob um rígido padrão de comportamento, por vezes opressivo e forte convicção religiosa.

A palavra do pai nunca fora desrespeitada, sua autoridade jamais discutida, ele é uma figura muito forte. Aquela família patriarcal, antiga, em que o pai manda e todos obedecem inclusive a esposa. A união da família é o mais importante!

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

Resenha por João de Carvalho
Título: Os doze trabalhos de Hércules
Autor: José Bento Monteiro Lobato
1ª publicação: 1944
Editora:Globo
Ano: 2010
Páginas: 416


Apreciação: 5/5

Resenha:

Monteiro Lobato (1882-1948) é o autor deste livro, de quem se diz que a arte não era o seu trabalho, mas o seu repouso, por isto a Literatura Infantil foi toda escrita como um imenso divertimento. Seu melhor livro foi “Urupês”, por ser o primeiro. Seu nome está muito ligado ao povo através de “Ideias de Jeca Tatu”. O livro que agora comentamos foi o último a ser escrito por Lobato. Suas obras são privilegiadas porque foram bem recebidas pelo público em geral e lidas.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

ESCOLHA O SEU SONHO

Resenha por Mara Carvalho

Título: Escolha o seu sonho
Autor: Cecília Meireles
1ª publicação: 1964
Editora: Global
Páginas:120

Apreciação: 5/5

Resenha:

Uma coleção de pequenas histórias muito bem tecidas pela autora.

São 45 crônicas dos mais variados assuntos, desde a solidão, liberdade, cometa, ovos de páscoa, enfermeira, a arte de ser feliz e  escolha de sonhos (que dá nome ao livro).

As crônicas foram escritas para um programa da rádio MEC e fez muito sucesso na década de 60, um trabalho de democratização da arte muito importante para época. Mais tarde estas obras foram compiladas em um livro.

sábado, 19 de novembro de 2016

MEU FILHO, MINHA FILHA

Resenha por Mara Carvalho

Título: Meu filho, minha filha
Autor: Carpinejar
Editora: Bertrand Brasil
Ano:2007
Páginas:141

Apreciação: 5/5

Resenha:

Um livro de poesias maravilhoso!

Um pai que exprime, através poesia, o sentimento guardado.

Um pai, 2 mães e 2 filhos.

O filho Vicente que convive com o pai e a filha Mariana que convive com a mãe.  As diferenças na relação filho/pai e filha/pai aparecem já de cara, nos próprio título das poesias “MEU FILHO COMIGO”, “MINHA FILHA SEM MIM”.

OS SERTÕES

Resenha por João de Carvalho

Título: OS SERTÕES
Autor: Euclides da Cunha
1ª publicação: 1902
Editora: Martin Claret
Páginas: 568

Apreciação: 5/5

Resenha:

Euclides da Cunha (1866 – 1909).
Literalmente, este notável escritor brasileiro situa-se no chamado Pré-Modernismo, tendo ele sido correspondente do Jornal Estado de São Paulo para cobrir o conflito de “Canudos” (1896/1897) chefiado pelo messiânico pregador Antônio Conselheiro.

A estrutura do Livro “Os Sertões” está dividida em três partes bem distintas:

1) Da Terra: que é a apresentação detalhada das características do Sertão Nordestino, em informações sobre o clima, a composição do solo, o relevo e a vegetação; 2) O Homem: retrato do sertanejo em que o texto procura demonstrar o impacto do meio sobre as pessoas. O destaque fica para a apresentação de Antônio Conselheiro e sua transformação em líder messiânico; 3) A Luta: com a relação dos embates entre as tropas oficiais e os seguidores do Conselheiro. O livro termina com a descrição da queda do Arraial de Canudos e a destruição de todas as casas erguidas no local” (Literatura Brasileira de Maria Luíza e Marcela Pontara).

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

CRUZANDO O CAMINHO DO SOL

Resenha por Mara Carvalho

Título: Cruzando o caminho do sol
Autor: Corban Addison
Editora: Novo Conceito
Ano: 2013
Páginas: 335



Apreciação: 5/5

Resenha:

Ahalya e Sita são duas irmãs indianas que moram em Tamil Nadu, Índia junto aos pai Naresh e a Mãe Ambini.

O dia amanhece tranquilo, elas estão na praia junto aos pais e de repente um tsunami acontece. De um minuto para outro a vida daquelas duas jovens muda completamente. Com a morte dos pais a única saída que encontram é ir para a escola em que estudam e ficar sob os cuidados da irmã Naomi. A escola fica em St. Mary na cidade de Chersnai. Mas uma mulher andar sozinha na índia significa um insulto e um risco constante. O drama está só começando.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

CONTOS DE FADAS

Resenha por João de Carvalho

Título: CONTOS DE FADAS

Autor: Hans Christian Andersen
Editora: Edições Paulinas
Páginas:  784

Apreciação:  4/5

Resenha:

Hans Christian Andersen, clássico da literatura infantil e universal, nasceu em 1805, em Odense, pequena cidade da Dinamarca. Seus contos são conhecidos e lidos no mundo inteiro. Suas obras foram traduzidas para as principais línguas do mundo e lidas vorazmente. Seus sonhos infantis só foram vividos por ele já velho. Viveu nas cortes reais e nos castelos da aristocracia europeia. Faleceu com setenta anos de idade, portanto em 1875.

Nunca foi um adulto, mas uma criança em suas obras. Por isto tornou-se um clássico da literatura infantil. Deste modo transformou-se em um poeta épico.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

QUANDO ME RIO

                                   (Infelizmente, desconheço o autor)

Quando me rio, muita gente pensa,
Que me sinto feliz e satisfeita
E que a minha alegria é tão intensa,
Que não posso contê-la no meu peito.

Muita gente assim pensa, e rio. Entretanto,
Este sorriso é pálido e forçado.
E se, às vezes, me rio sofro tanto,
Que ninguém avalia o meu estado.

Sim! Ninguém sondará o meu sorriso
Porque ele é vago, trêmulo, indeciso,
Embora, alegre, o mundo o vá julgando.

Na verdade, meu riso é contrafeito.
E se alguém, me vendo rir me abrisse o peito
Encontraria meu coração chorando!

domingo, 13 de novembro de 2016

À PROCURA DE ALGUÉM

Resenha por Lívia Alves
Título: À procura de alguém
Autora: Jennifer Probst
Editora: Paralela
Ano: 2016
Páginas: 288

Apreciação: 4/5

Resenha:
É um romance gostoso, entre um advogado de divórcios e uma proprietária de agência de relacionamentos, as quais as três sócias nunca encontraram o amor, veja só!
Mas a protagonista tem o Dom, ou seja, quanto encosta em um casal compatível ela sente um pequeno choque.
A química entre Slade e Kate é bem explosiva, a escrita fluída e simples da autora te prende do começo ao fim!

sábado, 12 de novembro de 2016

O CÃO DOS BASKERVILLES

Resenha por João de Carvalho

Título: O Cão dos Baskervilles
Autor: Arthur Conan Doyle
Editora: L & PM
Ano: 1998
Páginas: 208

Apreciação: 4/5

Resenha:

É um romance de autoria do notável escritor inglês, Arthur Conan Doyle, que realiza uma vibrante investigação. O ser humano aprecia na tela, na TV e nos livros os assuntos que envolvem matança, sacrifícios, tiroteios. Ou seja, quer ação! Os livros de Agatha Chistie, por exemplo, só perdem em tiragem para a Bíblia e os escritos de Lenin. O romance policial é uma espécie de droga porque tem força atrativa.

Conan Doyle (1859-1930) nasceu em Edimburgo, na Escócia, escreveu romances de aventuras, principalmente, criou o detetive “Sherlock Holmes” e seu fiel auxiliar “Dr. Watson”. Descobriu seu dom literário investigativo, observando a inteligência perspicaz do seu professor, médico, Dr. Joseph Bell. Na sua criação policial de grande sucesso, evidenciava-se a dupla atuante, dinâmica e competente.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

DUAS LUAS

Resenha por Mara Carvalho

Título: Duas Luas
Autora: Bruna Longobucco
Páginas: 174

Apreciação: 5/5

Resenha:

A vida em uma das favelas de Belo Horizonte não é nada fácil para Paulo e Maria. Com a morte da filha Sara de apenas 2 anos de idade o pai resolve abandonar tudo e voltar com o filho Gustavo e a esposa para Canoa Velha, interior de Minas Gerais.

Gustavo tem uma infância feliz, com os amigos Carlos e Clarissa. Com a adolescência os jovens começam a namorar. Mas o namoro de Gustavo e Clarissa não é bem vista pelos tios João e Laura. Mesmo com todos os problemas eles insistem em um namoro escondido.

Uma gravidez em plena juventude força o casamento entre os namorados.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

VOLÚPIA E TRAGÉDIA DE UM BÍPEDE

                                                                          Neimar de Barros

Venha, cara a cara
E assassine minha dor com um beijo,
Porque sua boca é arma que dispara
Tiros de desejo – balas de amor.

Venha, frente a frente
E enforque a tristeza comum, riso branco,
Porque sua boca sufoca a gente
Num cadafalso franco – cheio de beleza.

Venha, venha sem titubeios,
Fresca e nua, saída do banho.
Eu não me acanho...
Fresca e nua como tempestade.

Fresca, balançando os seios.
Fresca, os lábios cheios de saudade.
Fresca, piscando os olhos, chorando.
Pernas tremendo, ofegante, narizinho lindo...

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

IRMÃS EM AUSCHWITZ

Resenha por Mara Carvalho

Título: Irmãs em Auschwitz
Subtítulo: A comovente luta pela sobrevivência de duas irmãs reféns do Holocausto
Autora: Rena Kornreich Gelissen e Heather Dune Macadam
1ª publicação: 1995
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 406

Apreciação: 5/5

Resenha:

O livro conta a história verídica de Rena e Danka, irmãs sobreviventes do campo de concentração de Auschwitz.

A família era composta pelos pais já idosos e 4 filhas. As duas primeiras já eram moças quando os pais tiveram Rena e Danka. As mais velhas se casaram e somente as duas mais jovens permaneceram com os pais. Eles moravam na Polônia e eram judeus ortodoxos bem rígidos.

Em 1939 a Alemanha invade a Polônia. Muitas das moças judias estavam sendo abusadas sexualmente e, preocupados com a segurança da filha, os pais mandam Rena para Eslováquia escoltados pelo jovem Andrzej, um gentio(um polonês). Eles saem em fuga e chegam a casa do tio Jacob.

sábado, 5 de novembro de 2016

O CORTIÇO

Resenha por João de Carvalho

Título: O Cortiço
Autor: Aluísio Azevedo
Editora: Best bolso
(são várias editoras)
Páginas: 294

Apreciação: 5/5

Resenha:

Aluísio de Azevedo (1857-1913) autor das Massas na época, maranhense, diplomata, foi o escritor de maior representatividade do movimento literário brasileiro chamado Naturalismo. Teve como modelos Émile Zola, em sua obra “Germinal” e Honoré de Balzac famoso pela obra “A Comédia Humana”.

Aluísio viveu numa época em que a literatura procurava ser o sorriso da sociedade para mergulhar fundo na verdade da condição humana. Para dar maior e melhor visibilidade e interesse na elaboração de “O Cortiço”, ele de tamancos e cachimbo na boca ia misturar-se com as figuras do povo para melhor penetrar-lhes a humildade de condição. Sentia-lhes os problemas, apropriava-se do seu modo de falar e viver e penetrava no recesso de seus pequenos mundos.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A PESTE

Resenha por João de Carvalho

Título: A PESTE
Autor: Alberto Camus
Primeira Publicação: 1947
Editora: Best Bolso
Páginas: 294

Apreciação: 5/5

Resenha:

Alberto Camus (1913-1960), ensaísta, romancista, dramaturgo francês, nascido em Mondovi, na Argélia, ganhou o prêmio Nobel de Literatura de 1957.
“A Peste” é um romance inteligente e de grande alcance social porque o autor, embora argelino, foi um autêntico francês. Viveu no período de duas grandes guerras, sendo que a segunda já como adulto, sentindo na pele os efeitos terríveis de suas atrocidades, especialmente, com a invasão da França pelos Nazistas.
Neste obra, fundamentalmente, apesar do realismo da apresentação e descrição de “A Peste”, o tema analisa de forma alegórica os problemas verificados na França da época.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

O ESQUECIMENTO

                                    Maria José Aranha de Rezende

Não deves insistir, o que passou, morreu,
O que fui para ti jamais poderei ser!
Podes oferecer-me agora o próprio céu
Que contigo no céu não poderei viver!

Como custou riscar-te da memória!
Como tardou a vir o esquecimento!
Mas consegui, por fim, esta vitória
Que pôs termo ao meu grande sofrimento...

Nada conseguirás. Eu nunca voltarei.
Mesmo que a tua vida dependesse
Do meu beijo, o beijo eu negaria.

Porque com a mesma força que te amei,
Eu te esqueci, também... E se eu cedesse
Vergonha de mim mesma eu sentiria!